Origens históricas e seu enquadramento em Terras da Feira

Escariz é uma freguesia muito antiga que pertenceu no séc. VI à diocese de Coimbra que se estendia até ao rio Douro. Porém, em plena época da Reconquista aos mouros, e com a disputa entre o Bispo de Coimbra, D. Gonçalo, e o Bispo do Porto, D. Hugo que pretendia alargar as fronteiras da sua Diocese para sul até ao rio Antuã, pertenceu ora a uma, ora a outra Diocese.

Em 15-08-1115 o Papa Pascoal II, pela Bula “Egregias quondam”, reconheceu os limites da Diocese do Porto com o rio Antuã, mas pouco depois, em 24-02-1117, anulou esta decisão.

Em 02-03-1120 o então Papa Calisto II voltou a revalidar as pretensões de D. Hugo pela Bula “Officii mei” na qual há referência ao monte Nabal, junto à Venda da Serra, Escariz, onde se encontra a nascente meridional do rio Antuã que, seguindo por Nabais, Currais e Azagães – Carregosa – se junta nesta freguesia à nascente norte que parte do lugar das Alagoas pela Seixeira, Fajões, continuando, como rio já unificado, pela Ínsua, Pedra Má (Pindelo), Covo, Estarreja até à ria de Aveiro.

Em 1121 o mesmo Papa voltou a confirmar as fronteiras da Diocese de Coimbra com o rio Dour (englobando a freguesia de Escariz) e o assunto só ficou definitivamente solucionado com o Papa Inocêncio IV que em 12-09-1253, pela Bula “Provisionis Nostrae”, confirmou os limites da Diocese do Porto com o rio Antuã, ficando Escariz que já pertencia a Terras de Santa Maria, integrada definitivamente na Diocese do Porto.

Também nas inquirições de D. Afonso II feitas em 1220 na Terra de Santa Maria da Feira se fala “frigisia de Ascariz” (Arquivo do Distrito de Aveiro – II, 72). Outras referências encontramo-las nas inquirições de D. Afonso III feitas na Terra de Santa Maria da Feira em 1251 em que citam a “parrochia de Ascariz” (Lusitánia Sacra – VII, 116). E nas inquirições de D. Dinis feitas no julgado de Fermedo em 1284 fala-se da freguesia de Ascariz. Ainda outras inquirições de D. Dinis na Terra de Feira de Santa Maria, a que pertencia o Julgado de Fermedo, há referências à freguesia de “Santandré d'Escariz” (Arquivo Histórico de Portugal – II, 1222). Em 1320 a “Eclesiam de Ascariz é colectada ad centum sexaginta libras” no grupo das freguesias da Terra de Santa Maria (Arquivo do Distrito de Aveiro – VI, 286).

Num documento medieval do séc. XIV a igreja de Santo André de Ascariz é colocada no Arcediagado da Terra de Santa Maria (Censual do Cabido da Sé do Porto – 1924, pags.544).

No foral concedido por D. Manuel I em 10-02-1514 à Vila da Feira vem mencionada a freguesia de Escariz. Também o recenseamento de D. João III em 1527 coloca na região da “Vila da Feyra a Aldea d'Escariz e sua freguesia” (Arquivo Histórico Português – VI, 276).

Em 1623, quando surgiram as comarcas eclesiásticas, Escariz, continuava ligada à comarca da Feira, porque fazia parte do antigo concelho de Fermedo. Em 1838 figurava na comarca de Estarreja e no concelho de Oliveira de Azeméis, embora houvesse lugares da freguesia a pertencerem ao concelho de Fermedo. Em 1852 encontrava-se na comarca de Arouca e concelho de Fermedo. Com a extinção deste concelho em 24-10-1855 Escariz passou definitivamente para o concelho de Arouca do qual dista 20Kms. Arouca pertencia à Diocese de Lamego e só mais tarde passou a ser comarca eclesiástica da Diocese do Porto (Diocese do Governo, 05-19-1882).